Resenha – A Cidade do Sol – Khaled Hosseini

a cidade do sol khaled hosseini

ISBN: 978-85-209-3552-1 | Ano: 2007 | Editora: Nova Fronteira | Páginas: 365 | Skoob: adicione |Onde comprar: Amazon

Escrito pelo mesmo autor de “O Caçador de Pipas” e “O Silêncio das Montanhas“, o livro A Cidade do Sol narra a história de duas mulheres afegãs e seus dramas pessoais. Mariam, a primeira personagem que vamos conhecer, é uma adolescente que foi criada pela mãe, Nana. As duas vivem em uma pequena Kolba afastada de Herat. Mariam é uma harami, ela é fruto da relação entre sua mãe, uma empregada, com o patrão Jalil.

Apesar de não morar com o pai, Mariam nutre um imenso amor por ele, aguardando ansiosamente sua visita semanal. Pois, todas as quintas-feiras, Jalil vai até a kolba visitar a filha e levar algum presente. Ao completar 15 anos, Mariam resolve ir até à casa de seu pai, mas ao chegar lá não é recebida por ele e passa a noite na rua. Ao voltar para a kolba, Nana havia se matado.
Diante disso, a vida de Mariam se transforma. Ela é levada para a casa do pai e logo, por influência das esposas do seu pai, ela é entregue em casamento a Rashid, um homem bem mais velho e que a leva para Cabul.

No início, o relacionamento estava indo bem até que Mariam engravida e perde o bebê. Isso aconteceria por diversas vezes. Daí em diante sua vida se transforma em um verdadeiro martírio.

A segunda mulher que vamos conhecer é Laila, uma menina feliz e inteligente que vive em Cabul, Laila está estudando e seu pai lhe diz:  “Laila, você vai poder ser o que quiser.”
Apesar da guerra, Laila tem uma vida praticamente normal, com suas amigas Giti e Hasina e seu melhor amigo Tariq, até que os conflitos se intensificam e os bombardeios atingem Cabul ceifando a vida de seus pais.

A partir desse ponto, a vida de Mariam e Laila irão se cruzar e o que veremos daí em diante serão histórias tristes, mas também de cumplicidade, amor e determinação.

a cidade do sol1

A história dessas duas mulheres é descrita de forma tão realista que chega um momento em que você se coloca no lugar delas e se imagina buscando encontrar alternativas para se livrar daquela situação. Mas em um país onde as mulheres não tem nenhum valor, não tem o direito de abrir a boca, como elas poderiam se libertar de um marido violento e opressor?

Khaled Hosseini utiliza os conflitos no Oriente Médio como plano de fundo para a história de Marim e Laila. São quase 40 anos de guerras com alternância de poder, mas que para todas as famílias daquele lugar, só resultaram em tristeza, morte e destruição.

Através dessa obra somos levados a conhecer um pouco mais sobre a vida das mulheres nas sociedades extremistas, como elas são tratadas, como são privadas dos seus direitos e do seu verdadeiro papel na sociedade. 

O livro está dividido em 4 partes e ao todo são 51 capítulos. A diagramação é bem feita, não encontrei nenhum problema de revisão e as folhas são amarelas. O tamanho da fonte também é bem confortável para a visão, além disso, amei a capa. 

“Duas mulheres muito diferentes que se encontram em meio ao caos da intolerância, das tradições distorcidas, da guerra contra tudo o que genuinamente somos. São protagonistas unidas para sempre pelo desejo de superar o sofrimento e o medo, vencer a opressão e encontrar a felicidade. Um desejo sem cor, sexo, raça ou credo.” 

Khaled Hosseini.

 

Siga o blog nas redes sociais!

Facebook  ❤  Twitter  ❤  Google+  ❤ Instagram  

Anúncios

4 comentários sobre “Resenha – A Cidade do Sol – Khaled Hosseini

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.