Resenha do filme: Frida

Frida (2002) narra a história de Frida Kahlo (Salma Hayek), uma das maiores pintoras dos últimos tempos. Ela nasceu no México no início do século XX e desde muito cedo precisou enfrentar grandes dificuldades em sua vida. Ainda na infância Frida teve poliomielite, o que a deixou com uma perna mais curta. Na adolescência sofreu um acidente de bonde e devido a esse acidente ficou muito tempo sem andar, passou por diversos médicos, fez inúmeros tratamentos e  cirurgias. 

Filme Frida

Título: Frida |Gênero: Drama |Duração: 2h 00min |Direção: Julie Taymor |Ano de Lançamento: 2003

Depois de voltar a andar, ela vai ao encontro de Diego Rivera (Alfred Molina), um famoso pintor mexicano e solicita dele uma avaliação profissional de seus quadros. Frida passa a conviver com Diego e assim, se envolve com a política, chegando a hospedar o filósofo Leon Trostky (Geoffrey Rush) em sua casa.

Em 1929, Frida se casa com Diego Rivera, porém, o relacionamento dos dois é bastante conturbado devido aos diversos casos extraconjugais do marido. Ele acaba se relacionando até com irmã de Frida. Por outro lado, existem relatos de que Frida também teve vários casos amorosos, dentre eles está o nome de Trostky.

Filha de um imigrante alemão e de uma mexicana, Frida se negou a viver de acordo os padrões da sua época, o que a tornou um importante ícone do empoderamento feminino. Adorava uma bebida, era bissexual e comunista. Através de sua obra ela retratava todo o seu sofrimento e acontecimentos de sua vida, ou seja, sua realidade. Sofreu dores terríveis tanto físicas, devido às sequelas do acidente, quanto psicológicas devido aos seus relacionamentos com Diego e familiares. 

Baseado na biografia Frida escrita por Hayden Herrera, este filme dirigido por Julie Taymor vai mostrar a vida de Frida Kahlo da adolescência até a sua morte em 1954. Vencedor de vários prêmios importantes como: Oscar 2003, nas categorias melhor maquiagem e melhor trilha sonora original, Globo de Ouro 2003 melhor trilha sonora – cinema e ainda o BAFTA 2003, na categoria de melhor maquiagem.

Além de suas pinturas, Frida deixou ainda palavras sábias que podem ser aplicadas à situações bastante atuais. Conheça algumas de suas frases:

“Ao fim do dia, podemos aguentar muito mais do que pensamos que podemos”

“A beleza e a feiura são uma miragem, pois os outros sempre acabam vendo nosso interior”

“A dor, o prazer e a morte não são mais do que o processo da existência. A luta  revolucionária neste processo é uma porta aberta à inteligência”

Frida

Siga o blog nas redes sociais!

Facebook  ❤  Twitter ❤ Google+ ❤ Instagram ❤ Pinterest

Anúncios

4 comentários sobre “Resenha do filme: Frida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.