Resenha – Grande Sertão: Veredas – Guimarães Rosa

A resenha de hoje é sobre o livro Grande Sertão: Veredas, uma obra prima da Literatura brasileira. Este foi o primeiro livro concluído para o Projeto 12 livros para 2019.

Resenha Grande Sertão - VeredasISBN-13: 9788520922675
Ano: 2015
Páginas: 496
Editora: Nova Fronteira
Skoob: adicione
Compre na Amazon

Grande Sertão: Veredas é narrado por Riobaldo, um ex-jagunço que relata os acontecimentos da sua vida a um homem forasteiro, um interlocutor que não se manifesta na narrativa. Por meio das reflexões do narrador, vamos conhecendo a  vida, os medos e os amores de Riobaldo. Além do modo como viviam aqueles jagunços, as batalhas travadas contra “os homens do governo”, Hermógenes e o seu bando e as várias disputas entre os jagunços rivais.

“De tudo não falo. Não tenciono relatar ao senhor minha vida em dobrados passos; servia para que? Quero é armar o ponto dum fato, para depois lhe pedir um conselho. Por daí, então, careço de que o senhor escute bem essas passagens! da vida de Riobaldo, o jagunço.”

Riobaldo tem uma noiva chamada Otacília. No entanto, quando ele passa a fazer parte de um novo bando e conhece Reinaldo, um jagunço de olhos verdes, os dois iniciam uma grande amizade. Logo, Riobaldo se apaixona por Reinaldo e este revela que seu verdadeiro nome é Diadorim. Além desse processo de descoberta do amor entre os dois jagunços, um dos momentos mais importantes da narrativa é quando acontece o pacto fáustico. Riobaldo está passando próximo a um local conhecido como Veredas-Mortas e neste lugar ele faz um pacto com o diabo para conseguir vencer os seus inimigos.

Riobaldo faz parte do bando de Joca Ramiro, o qual é assassinado por Hermógenes,  que foge com outros homens do bando. Assim, mesmo não sendo um jagunço muito corajoso, ele é bastante justo e decide ir em busca de Hermógenes para vingar a morte do seu líder.

O misticismo é um elemento recorrente na obra. A existência do diabo é algo bastante mencionado, assim como Deus e a religiosidade. Em vários momentos são contados casos e eventos sobrenaturais. 

“O Pacto! Se diz – o senhor sabe. Bobeia. Ao que a pessoa vai, em meia noite, a uma encruzilhada e chama fortemente o Cujo – e espera. Se sendo, há-de-que vem um pé de vento, sem razão, e arre se comparece uma porca com ninhada de pintos, se não for uma galinha puxando barrigada de leitões. Tudo errado, remendante, sem contemplação… O senhor imagina percebe? O Crespo a gente retém – então dá um cheiro de breu queimado. E o dito – o Côxo – toma espécie, se forma!”

Vale ressaltar que a trama possui um mistério, o qual é revelado apenas nas páginas finais do livro. E é uma das passagens mais emocionantes da história. Sei que esta obra já é bastante conhecida por muitas pessoas, mesmo quem ainda não leu a história, já sabe basicamente de importantes acontecimentos da trama, pois a obra já foi adaptada para a televisão e muitas pessoas já assistiram a minissérie produzida pela Rede Globo. 

A narrativa é ambientada em três estados: Goiás, Minas Gerais e Bahia. A linguagem em Grande Sertão: Veredas é bastante peculiar. Com muitos neologismos e originalidade, Guimarães Rosa abusou da linguagem coloquial, popular e regionalista. A história é narrada em primeira pessoa e não possui divisões em capítulos, é como se fosse um relato contado de uma só vez. No entanto, a narrativa não é linear, apresentando várias digressões do narrador.

Grande Sertão: Veredas não é apenas uma história sobre o sertão, é uma grande metáfora sobre o ser humano, sobre a vida, sobre a existência. 

Viver é negócio muito perigoso…

É importante dizer que, apesar de ser uma leitura difícil de se fazer, ler Grande Sertão: Veredas não é impossível. Existem muito textos de apoio e muito material na internet para auxiliar na compreensão da mesma. Mas, posso afirmar que apesar da dificuldade, vale muito a pena conhecer essa história. Recomendo muito a leitura!

Siga o blog nas redes sociais!

Facebook  ❤  Twitter ❤ Google+ ❤ Instagram ❤ Pinterest

 

Anúncios

3 comentários sobre “Resenha – Grande Sertão: Veredas – Guimarães Rosa

  1. Isa Ueda disse:

    Parabéns pelo desafio cumprido, então! 😊 eu sei… muitas vezes acabo lendo mais críticas do livro depois de o ter finalmente lido do que lendo novamente o livro 🤣🤣🤣 mas entendo hahaha

    Curtido por 2 pessoas

  2. Isa Ueda disse:

    Só por alguns trechos que você colocou já dribles perceber que a linguagem é realmente bem diferente. Quanto aos neologismos eu já sabia que ele era conhecido por isso, mas como nunca li nada dele e nem tinha tido contato com sua escrita, não entendia como ele trabalhava isso.
    Embora não seja um livro que eu esteja morrendo de vontade de ler, me atraiu muito mais do que eu imaginava.

    Curtido por 2 pessoas

    • Gio - Atraídos Pela Leitura disse:

      Sinceramente, eu encarei essa leitura como um desafio. Pois, passei pela faculdade de Letras e não li Grande Sertão: Veredas. Conheci apenas alguns contos de Guimarães Rosa. Já faz muitos anos que eu me planejava para essa leitura. consegui concluir, mas sabe aqueles livros que vc sente que precisa de ler muitas vezes? Este é um deles. ♥♥

      Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.