Resenha – O Morro dos Ventos Uivantes – Emily Brontë

Tempos atrás eu já havia iniciado a leitura dessa obra, porém, acabei deixando de lado ainda no início. Mas este ano ao escolher 12 livros para ler em 2019, coloquei O Morro dos Ventos Uivantes na lista e não me arrependi.

Desde que soube da existência desse clássico, o título dele já me despertou um certo interesse. O Morro dos Ventos Uivantes é algo que me remete a um lugar de atmosfera sombria e assustadora. E, certamente, neste livro o leitor não deve esperar por um romance convencional, pois irá se decepcionar. A narrativa contida nestas páginas é uma história de amor, mas principalmente, de vingança.
Resenha-o-morro-dos-ventos-uivantes-emily-bronte

ISBN-13: 9788580700039
Ano: 2012
Tradução: Doris Goettems
Páginas: 303
Editora: Landmark
Skoob: adicione
Compre: Amazon

Tudo tem início quando o recente inquilino da Granja Trushcross, Mr. Lockwood resolve fazer uma visita ao seu senhorio, Mr. Heathcliff, na propriedade vizinha conhecida como Wuthering Heights (O Morro dos Ventos Uivantes). Ao chegar no local ele se depara com um homem de personalidade e gênio bastante fortes, além da presença de outras pessoas igualmente estranhas vivendo naquela casa.

Devido ao mal tempo, Mr. Lockwood precisou pernoitar na casa do seu senhorio e se acomodou em um quarto onde havia algumas variações do nome de Catherine nas paredes e diversos livros contendo relatos escritos por Catherine Earnshow. Nesta mesma noite ele teve um pesadelo com uma mulher gemendo e querendo entrar na casa. Fato que o deixou bastante apavorado, mas também muito curioso para saber mais sobre aquelas pessoas.

Ao voltar para a Granja Trushcross, Mr. Lockwood fica doente e tendo apenas a companhia da sua governanta Ellen Dean, apelidada de Nelly, ele aproveita a oportunidade para conhecer a história daquela família, visto que, Nelly presenciou todos os acontecimentos. E, assim, a governanta passa a relatar toda a história.

Mr. Earnshow trouxe para casa um menino de pele escura, um cigano,  que ele encontrou abandonado durante uma das suas viagens. Deu a ele o nome de Heathcliff. A chegada desse garoto foi motivo de grande ciúmes por parte de Hindley, pois seu pai tinha grande afeto por aquela criança. Além de Hindley, Mr. Earnshow tinha outra filha, Catherine, que ao contrário do irmão nutre um carinho muito grande por Heathcliff.

Os dois crescem juntos e aquele carinho se transforma em um amor muito grande entre eles. No entanto, essa relação não tinha nenhum futuro, pois seria impensável um casamento entre Cathy,  uma jovem com posses, de boa família com um rapaz de pele escura e que não tinha ao menos um sobrenome.

Com a morte de Mr. Ernshaw,  Hindley regressa do colégio para tomar posse da casa e dos bens e passa a atormentar ainda mais a vida de Heathcliff.

Após passar algumas semanas na casa da família Linton para se recuperar de um acidente, Cathy volta para casa bastante diferente e começa a se interessar pelo jovem Edgar Clinton e, pensando em um futuro melhor para si, decide se casar com ele.

Ao perceber que não tinha nenhuma possibilidade de ficar com Cathy, depois de ouvi-la dizer que um casamento com ele estragaria seu status social e sua reputação, Heathcliff desaparece do Morro dos Ventos Uivantes.

Cathy se casa com Edgar Linton e vai morar na Granja Thrushcross. Anos depois Heathcliff retorna ao Morro dos Ventos Uivantes para se vingar de todos aqueles que o separara do seu grande amor.

o-morro-dos-ventos-uivantes-emily-bronte

Os personagens deste livro são bastante complexos, com sentimentos conflitantes e em vários momentos da leitura eu detestei, praticamente todos eles. Creio que esta antipatia se deu pelo fato das personagens apresentarem características e ações condenáveis.

Catherine é uma jovem bastante egoísta, mimada e impetuosa, toma a precipitada decisão de se casar sem estar totalmente apaixonada pelo futuro marido e quando vê Heatcliff regressar rico e com uma aparência muito melhor, fica totalmente enlouquecida por conta desse amor impossível.

Heathcliff é um homem que após perder a única pessoa que lhe demonstrava algum carinho, se transformou em um indivíduo violento, vingativo e impiedoso.

Em O Morro dos Vento Uivantes o leitor se depara com inúmeros questionamentos acerca das atitudes dos personagens. Seria as atitudes impiedosas de Heatcliff resultado de todas as humilhações, maus tratos e abandono sofridos durante toda a vida ou desde sempre ele teve este transtorno de  personalidade? Ao aceitar se casar com Edgar Linton, Catharine agiu de maneira impetuosa, pois era mimada e desde sempre estava acostumada a fazer o que tivesse vontade ou ela foi cautelosa e precavida ao pensar no seu próprio futuro e manter o seu status e prestígio se casando com um jovem de posses? 

O livro não possui uma história linear. A trama começa praticamente no final dos acontecimentos, é narrada em primeira pessoa por Mr. Lockwood e em seguida, Nelly passa a relatar os fatos. Os cenários desta obra são tão bem descritos que durante a leitura é impossível não se sentir envolvido pela atmosfera nebulosa, fria e melancólica do livro.

Leia tamém: Orgulho e Preconceito

Wuthering Heights ou O Morro dos Ventos Uivantes foi publicado pela primeira vez em 1847. Este foi o único romance escrito por Emily Brontë, que veio a falecer ainda muito jovem, mas foi suficiente para marcar, definitivamente, o nome da autora  na Literatura Universal.

Esta foi uma das leituras que mais gostei este ano. O romance é surpreendente, instigante e que desperta várias emoções no leitor. A escrita de Emily Brontë é arrebatadora e surpreende ainda mais, ao levar em consideração que a obra foi escrita no início do século XIX, por uma jovem mulher reclusa e introvertida. 

Siga o blog nas redes sociais!

Facebook  ❤  Twitter ❤ Instagram ❤ Pinterest

15 comentários em “Resenha – O Morro dos Ventos Uivantes – Emily Brontë

  1. Oi, Gio. Eu havia lido o post na terça, mas só hoje vim comentar haha. Gostei muito da sua resenha, acho que dá pra pegar bem a essência de Cathy e de Heathcliff 😊 Eu não sei se foi dos que mais amei no ano, porque tem sido, assim como 2018, um ano cheio de boas leituras! Mas eu realmente gostei muito de ter feito essa leitura. Faz a gente entender por que os clássicos são clássicos, né 😘

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi. Obrigada! Eu gostei mais do livro pela originalidade da história. Sempre vejo os romances de época com histórias românticas, e este me surpreendeu positivamente. Mas como não estamos nem na metade do ano isso pode mudar e eu leia outro livro que se torne o meu novo preferido. 🙂 🙂 🙂 🙂

      Curtido por 1 pessoa

  2. Eu adoro esse livro! Leio pouquíssimos romances, mas O Morro dos Ventos Uivantes e E o Vento Levou… são livros que eu leria de novo e de novo sem me cansar! E sem deixar de sentir raiva a cada besteira que os personagens fazem Hsuahsuahsua

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.