Resenha – Memorial de Maria Moura – Rachel de Queiroz

Este é um livro que está comigo há mais de 10 anos e só agora resolvi realizar essa leitura. Escolhido para o desafio de 12 livros para ler em 2019, este romance de Rachel de Queiroz é mais um daqueles livros sobre o sertão nordestino que eu adoro ler.

Resenha Memorial de Maria MouraISBN-10: 8503008114
Ano: 2004
Páginas: 503
Editora: José Olympio
Skoob: adicione
Compre o seu na Amazon

Memorial de Maria Moura conta a história de uma jovem de dezessete anos, órfã de pai que encontra sua mãe enforcada, supostamente suicidou-se, pois logo Moura desconfia do padrasto Liberato, que andava com grande interesse em tomar posse dos bens da sua mãe. Pouco tempo depois, Liberato seduz Maria Moura que não resiste e acaba na cama do padastro, porém, quando se dá conta do real interesse dele, ela decide se vingar e seduz um jovem da fazenda para matar Liberato. No entanto, Jardilino quer a sua “recompensa” pelo trabalho e Moura logo cria uma armadilha na qual Jardilino também acaba morto. 

O plano de Maria Moura tem êxito, mas ela tem um novo desafio pela frente: os primos Tonho e Irineu que tentarão receber sua parte na herança. Mas Moura não está interessada em dividir a propriedade e quando a justiça determina que seja feita a partilha, ela resolve atear fogo na casa e partir em busca da Serra dos Padres, pois neste local estão as terras do seu finado avô.

Para esta aventura ela conta com João Rufo seu fiel protetor e mais três homens: Zé Soldado, Maninho e Alípio. Em um ambiente predominantemente masculino, Moura passa a se vestir de homem e corta o cabelo bem curto, segundo ela para se impor respeito e passa a liderar aquele bando de jagunços. Durante a viagem, o grupo começa a roubar o que conseguir para sobreviver. Após muito tempo saqueando e juntando dinheiro, Moura consegue realizar o seu plano de recuperar as terras do seu avô, construir uma casa grande e se tornar respeitada em toda região. 

A história desse livro já inicia com uma tremenda agitação: perseguição, tiros e tudo que você possa imaginar que exista em um romance sobre cangaceiros no sertão nordestino, em pleno século XIX. Memorial de Maria Moura é um entrelaçado de várias outras histórias que de alguma forma culminam com a principal. Tem a história do Beato Romano, um padre que se envolveu com uma fiel da igreja e após uma tragédia precisou fugir, tem ainda Marialva que se apaixonou e fugiu para se casar com um saltimbanco de olhos verdes iguais aos dela, a história de Duarte que é filho de uma escrava e meio-irmão de Tonho, Irineu e Marialva, dentre tantas outras que irão compor essa bela obra de Rachel de Queiroz.

Memorial de Maria Moura é narrado em primeira pessoa e apresenta cinco narradores: Beato Romano, Moura, Tonho, Irineu e Marialva e sempre trazendo o nome de cada um deles como título de cada capítulo, o que facilita na hora da leitura, visto que a história não é única e muito menos linear. Sem este recurso acredito que dificultaria um pouco a compreensão do leitor.

Por se tratar de uma história ambientada no século XIX, Memorial de Maria Moura aborda superficialmente o tema da escravidão, creio que por não ser bem o foco da história, mas achei que ficou muito parecida com as histórias do sertão ambientadas no início do século XX.

Leia também: Em Busca do Legado de Cassemira

Gostei muito dessa leitura, mesmo que em alguns momentos ela tenha se tornado até um pouco cansativa. O fato de cada capítulo tratar-se de uma história diferente, narrada por um narrador diferente ajudava nesses momentos de desânimo. A narrativa que mais despertou o meu interesse foi a a história do Beato Romano, pois trouxe várias cenas bastante dramáticas e com certa dose de suspense que eu aprecio muito em uma obra. 

Em 1994, Memorial de Maria Moura foi adaptada para a televisão e a personagem de Maria Moura foi interpretada pela atriz Glória Pires.

Siga o blog nas redes sociais!

Facebook  ❤  Twitter ❤ Google+ ❤ Instagram ❤ Pinterest

 

 

 

 

3 comentários em “Resenha – Memorial de Maria Moura – Rachel de Queiroz

  1. Adoro histórias que contenham focos em vários personagens, todos narrados em primeira pessoa. Nunca li nada da Rachel, e não sei se daria conta hahaah pra ser bem sincera.
    Sua resenha, no entanto, deu uma boa animada. Adorei ela! Parabéns.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.