3 passos para começar a ler Literatura Brasileira

Olá leitores, como vocês estão? Hoje eu vou passar algumas dicas para quem quer começar a ler Literatura Brasileira.

Sempre leio comentários de pessoas que não gostam de literatura brasileira por causa da obrigatoriedade que tiveram de ler durante o tempo de escola. Outras porque acham que literatura brasileira é composta apenas de livros antigos com uma linguagem muito rebuscada e de difícil compreensão.

3 passos para ler Literatura Brasileira

Creio que o fato de ler algo por obrigação ou mesmo um livro inadequado para a idade pode, realmente, contribuir para essa desmotivação para ler mais livros nacionais. Mas, posso te afirmar que se você seguir esses 3 passos, irá descobrir como a nossa Literatura é rica, prazerosa e, muitas vezes, divertida.Leia mais »

Resenha – Dom Casmurro – Machado de Assis

Dom Casmurro é uma daquelas obras clássicas que precisamos ler pelo menos uma vez durante a nossa vida. Publicado em 1900, Dom Casmurro, junto com Memorias Póstumas de Brás Cubas e Quincas Borba formam a chamada tríade realista machadiana.

Este é o quinto livro do desafio de 12 livros para 2019. Foi mais uma leitura concluída com sucesso e recomendo muito esta preciosidade da nossa Literatura.

Resenha Dom Casmurro Machado de AssisISBN-13: 9788532204158
Ano: 1997
Páginas: 223
Editora: Ática
Skoob: adicione
Compre o seu exemplar na Amazon

Neste romance de Machado de Assis, o protagonista Bento Santiago, antes chamado de Bentinho, começa a rememorar a história da sua vida.

“O meu fim evidente era atar as duas pontas da vida, e restaurar na velhice a adolescência.”

Leia mais »

Resenha – Memorial de Maria Moura – Rachel de Queiroz

Este é um livro que está comigo há mais de 10 anos e só agora resolvi realizar essa leitura. Escolhido para o desafio de 12 livros para ler em 2019, este romance de Rachel de Queiroz é mais um daqueles livros sobre o sertão nordestino que eu adoro ler.

Resenha Memorial de Maria MouraISBN-10: 8503008114
Ano: 2004
Páginas: 503
Editora: José Olympio
Skoob: adicione
Compre o seu na Amazon

Memorial de Maria Moura conta a história de uma jovem de dezessete anos, órfã de pai que encontra sua mãe enforcada, supostamente suicidou-se, pois logo Moura desconfia do padrasto Liberato, que andava com grande interesse em tomar posse dos bens da sua mãe. Pouco tempo depois, Liberato seduz Maria Moura que não resiste e acaba na cama do padastro, porém, quando se dá conta do real interesse dele, ela decide se vingar e seduz um jovem da fazenda para matar Liberato. No entanto, Jardilino quer a sua “recompensa” pelo trabalho e Moura logo cria uma armadilha na qual Jardilino também acaba morto. 

Leia mais »

Os 7 Melhores Contos de Machado de Assis

Sempre gostei de ler contos e quando busco na memória quais os primeiros que li, só me vem os contos machadianos. Os contos de Machado de Assis, inicialmente eram publicados em jornais da época e, posteriormente, foram reunidos em livros. Hoje eu vou mostrar para vocês os 7 melhores contos de Machado de Assis.

os 7 melhores contos de Machado de Assis.jpg

O Alienista

O Dr. Simão Bacamarte é um psiquiatra que passou muitos anos estudando na Europa. Ele volta para a cidade de Itaguaí e decide fazer um profunda investigação acerca da sanidade humana. Pal tal pesquisa, ele cria a “Casa Verde”, uma instituição onde ele interna todas as pessoas que são diagnosticadas com algum distúrbio mental. Com o passar do tempo, o Dr. Simão Bacamarte começa a internar pessoas que não tem nenhum problema aparente e assim, a população começa a se revoltar contra ele… Já tem resenha de O Alienista aqui.

Leia mais »

Resenha – Grande Sertão: Veredas – Guimarães Rosa

A resenha de hoje é sobre o livro Grande Sertão: Veredas, uma obra prima da Literatura brasileira. Este foi o primeiro livro concluído para o Projeto 12 livros para 2019.

Resenha Grande Sertão - VeredasISBN-13: 9788520922675
Ano: 2015
Páginas: 496
Editora: Nova Fronteira
Skoob: adicione
Compre na Amazon

Grande Sertão: Veredas é narrado por Riobaldo, um ex-jagunço que relata os acontecimentos da sua vida a um homem forasteiro, um interlocutor que não se manifesta na narrativa. Por meio das reflexões do narrador, vamos conhecendo a  vida, os medos e os amores de Riobaldo. Além do modo como viviam aqueles jagunços, as batalhas travadas contra “os homens do governo”, Hermógenes e o seu bando e as várias disputas entre os jagunços rivais.

“De tudo não falo. Não tenciono relatar ao senhor minha vida em dobrados passos; servia para que? Quero é armar o ponto dum fato, para depois lhe pedir um conselho. Por daí, então, careço de que o senhor escute bem essas passagens! da vida de Riobaldo, o jagunço.”

Leia mais »